LEI DO VALE-TRANSPORTE

Mais que um benefício,
um direito do trabalhador



Esta apresentação é uma iniciativa da vB para você ter acesso de forma simples e prática aos principais pontos da lei do vale-transporte.

Aqui, você poderá tirar suas dúvidas e entender melhor qual o papel do empregador e do beneficiário em relação a este benefício.


lei do vale-transporte n° 7.418


Para assegurar ao trabalhador o direito de ir e vir com comodidade da casa para o trabalho e vice-versa, em 1985, o então presidente José sarney, aprovou a lei no 7.418, criada pelo senador affonso alves de camargo neto, que instituiu o direito ao vale-transporte.

O vale-transporte é de uso exclusivo para o trabalhador se deslocar da casa para o trabalho e vice-versa. As linhas e tarifas são fixadas pelo poder público com exceção dos serviços seletivos e especiais, como: transporte turístico, escolar, de servidores de órgãos públicos ou de empresas privadas. Geralmente, os veículos que atendem essas categorias possuem poltronas reclináveis, estofadas e numeradas com porta pacotes no seu interior, bagageiros externos e apenas uma porta, não sendo permitido o transporte de passageiros em pé.


quem é beneficiado?

Os empregados, assim definidos no art. 3° da consolidação das leis do trabalho

Os empregados domésticos, assim definidos na lei N° 5.859, de 11 de dezembro de 1972

Os trabalhadores de empresas de trabalho temporário, de que trata a lei no 6.019, de 3 de janeiro de 1974

Os empregados a domicílio para os deslocamentos indispensáveis à prestação do trabalho, percepção de salários e os necessários ao desenvolvimento das relações com o empregador

Os empregados do subempreiteiro, em relação a este e ao empreiteiro principal, nos termos do art. 455 da consolidação das leis do trabalho.

Os atletas profissionais de que trata a lei no 6.354, de 2 de setembro de 1976

Os servidores da união. Do Distrito Federal, dos Territórios e suas autarquias, quaisquer que seja o regime jurídico, a forma de remuneração de serviços

responsabilidades do empregador

O empregador, sendo pessoa física ou jurídica, deve se responsabilizar pelo valor das despesas de deslocamento da residência para o trabalho e vice-versa.

O fornecimento do vale-transporte só pode ser cancelado caso o contrato do trabalhador não seja renovado.



responsabilidades do trabalhador


Informar seu endereço, bem como os serviços e meios de transporte mais adequados ao seu deslocamento residência-trabalho e vice-versa. Estas informações deverão ser atualizadas anualmente ou sempre que ocorrer alterações das circunstâncias de trabalho.


É muito importante que o trabalhador firme o compromisso de utilizar o vale-transporte exclusivamente para se descolar do trabalho para casa e de casa para o trabalho. A declaração falsa ou o uso indevido do Vale-Transporte constituem falta grave.





COMO O VALE-TRANSPORTE DEVE SER EMITIDO?

A emissão e a comercialização do vale- transporte poderão ser efetuadas pelo órgão de gerência ou pelo poder concedente, quando este tiver a competência legal para emissão.

Fica à cargo da empresa operadora delegar a emissão e a comercialização do vale-transporte ao preço da tarifa vigente, colocando à disposição dos empregadores sem repassar os custos para a tarifa de serviços.

O vale-transporte poderá ser emitido na forma de bilhetes simples ou múltiplos, talões, cartelas, fichas ou qualquer processo similar, conforme as peculiaridades e conveniências locais.

O controle dos vales emitidos, comercializados e utilizados será realizado pela VB por meio de um sistema de registro. No caso da falta ou insuficiência de estoque de vale-transporte, o trabalhador deverá ser ressarcido imediatamente pelo empregador.

COMO O VALE-TRANSPORTE É CUSTEADO?

A concessão deste benefício autoriza o empregador a descontar, mensalmente, o equivalente a 6% do salário básico do beneficiário.

O valor da parcela a ser suportada pelo beneficiário será descontada proporcionalmente a quantidade de vale-transporte concedida que favoreça o beneficiário.

Importante: caso a despesa com o deslocamento do beneficiário seja inferior a 6% do salário básico ou vencimento, o empregado poderá optar pelo recebimento antecipado do vale-transporte, cujo valor será descontado integralmente por ocasião do pagamento do respectivo salário ou vencimento.



o vale-transporte perMite a dedução do iMposto de renda?


Em caso de pessoas jurídicas, a dedução do vale-transporte será permitida somente em relação aos excessos referentes à aquisição de vale-transporte ou transporte próprio fornecido aos empregados até o ano de 1997, observado o limite de dedução de 8% do imposto de renda devido.

O valor efetivamente pago e comprovado pelo empregador na aquisição do vale-transporte poderá ser reduzido como despesa operacional, na determinação do lucro real, no período base de competência da despesa.

O empregador poderá deduzir do imposto de renda devido, o valor equivalente à aplicação da alíquota cabível do Imposto de Renda sobre o montante das despesas comprovadamente realizadas, no período base, na concessão do vale-transporte.

lembre-se: a dedução não poderá reduzir o imposto devido em mais de 10%

coM as condições e liMites definidos, concluíMos que o vale-transporte:


Não tem natureza salarial e nem se incorpora à remuneração para quaisquer efeitos

não constitui base de incidência de contribuição previdenciária ou de fundo de garantia por tempo de serviço

não se configura como rendimento tributável do trabalhador


para conhecer a legislação coMpleta, clique aqui

Adquira seu vb vale-transporte e descubra as vantagens de ser cliente da maior empresa de benefícios do Brasil


3004 4210 (Capitais e Regiões Metropolitanas)

0800 725 4210 (Demais cidades)